•       Página inicial       Outras Edições
  • A indústria da exploração sexual infantil tem um novo capítulo

    Saiba quem é o homem citado na denúncia contra MC Mirela

        A denúncia

        Uma menor de idade, postou em rede social, pelo seu perfil no Twitter, uma conversa privada que teve com a funkeira Mc Mirella através de sua conta no Instagram, onde Mirella a mando de um "Dono de Shopping" chamado "Willian", ofereceu R$ 2.000,00 Reais inicialmente para que a menor aceitasse sair com ele, mas com a negativa da aliciada a oferta chegou a R$ 5.000,00 Reais, porém a garota, que tinha apenas 16 anos na época da proposta, recusou. Na conversa, Mirella se mostra com carta branca para negociar, o que sugere ela poder ter um valor máximo para fechar o programa, tanto que a proposta final quase triplica a proposta inicial.

        Ao postar as imagens da conversa com a Mc Mirella, a jovem disse ter "nojo" e que não realizou a postagem antes pelo medo de que acontecesse algo com ela, afirmando ainda, "gente que tem dinheiro pode fazer qualquer coisa com quem não tem."

        Na manhã de hoje (14) o perfil @let_dex tweetou uma série de informações ao qual nomeou "Dossiê MC Mirela - Máfia Paraguaia". No "Dossiê" ele trouxe de maneira investigativa por cruzamento de informações, fortes indícios de uma rede de aliciamento de meninas, citando o empresário paraguaio (que na verdade é libanês) de supostamente ser o "dono do Shopping" que contatou Mirella para oferecer dinheiro à garota para passar um fim de semana com ele.
        Em sua thread, Let's Dex questionou o silêncio das feministas diante da gravidade do fato: "Cadê a manifestação da Bruna Marquesine sobre o caso Mirella? E a Luiza Sonza? A Casedevall? E a Maisa? CADÊ?
        Há camisinhas usadas de coroas ricos com novinhas nas suas mãos feministas. A conveniência de vocês tá ensurdecedora.
    "

        O libanês paraguaio

        Willian Pionner é supostamente o dono do "Pioneer International Shop" que fica em Ciudade de Este no Paraguai, e o seu nome verdadeiro é Wissam Mohamad Nassar.
        O nome Wissam Mohamad Nassar é bastante conhecido em Foz do Iguaçu e possui vários processos por lá:
              Wissam Mohamad Nassar nasceu em 06 de Junho de 1977.
            Wissam Mohamad Nassar atropelou e matou uma pessoa ao dirigir em alta velocidade em 24 de Setembro de 2005. Na ocasião, em seu veículo (um BMW 325i) foi encontrado 999g (novecentos e noventa e nove gramas) de cocaína o que caracteriza tráfico de drogas. Tanto o processo pelo atropelamento e morte quanto o de tráfico de drogas ainda corre ante tantas apelações e recursos. O homícidio culposo proveniente do atropelamento já prescreveu e o processo por tráfico de drogas já teve sua pena reduzida 2 vezes.
            A esposa de Wissam Mohamad Nassar foi condenado por violência doméstica.
            A esposa de Wissam Mohamad Nassar fugiu com seus filhos.
            Wissam Mohamad Nassar é considerado inimputável pela justiça do Paraná.
            Wissam Mohamad Nassar cometeu um homicídio.

            Wissam Mohamad Nassar deve R$ 1.974.687,92 de IRPF/Imposto de Renda de Pessoa Física e de IRPJ/Imposto de Renda de Pessoa Jurídica para o Governo Brasileiro e como penhora, deixou uma TV de plasma. Este processo se arrasta desde 2005 e no dia 10 de Abril de 2019, foi feita nova intimação para em até 15 dias "se manifeste com relação à exceção de pré-executividade oposta nos autos pelo executado".
        Ou temos um caso de homônimos em grande escala em Foz do Iguaçu, ou um caso de impunidade crônica.

        Ligações com o terrorismo

        Wissam Mohamad Nassar foi acusado de usar a "Pioneer International Shop" para lavagem de dinheiro e de enviar altas quantias para uma conta no Líbano (evasão de divisas) pelo governo paraguaio.
        Segundo o site "abc.com.py" em 07 de Abril de 2006, Wissam e seu irmão pertence a uma quadrilha composta por 36 arabes e 10 paraguaios que envia dinheiro para o Líbano de forma criminosa: "Esse canal seria outra evidência de como milhares de dólares são remetidos para o exterior para financiar grupos islâmicos radicais.", diz a reportagem do site abc.com.py

        É típico da família "Mohamad Nassar" usar nome diferente no Brasil; eles adotaram o sobrenome Pionner. Também conhecido por Ricardo Pionner, Hichan Mohamad Nassar também deve à justiça brasileira. A Juíza Federal Gabriela Hardt o condenou por Crimes contra o Patrimônio (valor da causa R$1.800.000,00).
        No Paraguai, Hichan Mohamad Nassar também é citado na reportagem do site "abc.com.py"

        Outro citado na reportagem do site "abc.com.py" é Oussama Mohamad Nassar, proprietário da empresa "Booster do Brasil LTDA" que tem como Atividade Principal "Comércio atacadista de aparelhos eletrônicos de uso pessoal e doméstico" e uma das Atividades Secundárias "Instalações hidráulicas, sanitárias e de gás" e ""Montagem e instalação de sistemas e equipamentos de iluminação e sinalização em vias públicas, portos e aeroportos".

        os 3 "Mohamad Nassar" estão no Brasil desde 1995.

    Nota de rodapé:
         Atualização da matéria em 19 de Abril de 2019 23h07

        A Central de Imprensa Sátira se dá o direito de adequar seus textos quando bem convier, porém, em respeito aos leitores, sempre manterá o artigo original sem alterações para eventuais pesquisas. (Alex Diferolli)
    mais edições

    "Daqui em diante nem tudo é realidade"

    • Tecnologia