Lula, da Presidência à prisão

28 de Abr de 2019 às 17h35

Condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula amarga sua pior fase, o ostracismo da prisão após ter se tornado personagem principal em um dos maiores escândalos de corrupção do Brasil.

 

Opinião

Por Paula Zanelli

        Em sua entrevista ao EL PAÍS e à Folha de São Paulo, Lula se mostrou prepotente e de um cinismo absurdo. Acusou Moro e Delagnol, disse que o Brasil está sendo governado por malucos e que gostaria de estar em casa com a sua esposa (?) e filhos. A entrevista foi um fracasso, o que prova que a era Lula já passou, restando apenas uma sombra do que um dia foi o metalúrgico que se tornou presidente.

        Condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula amarga sua pior fase; do estrelato de chefe de Estado, a personagem principal nas páginas policiais do Brasil e do Mundo.

        É bem verdade que também existam outros políticos que escolheram o caminho do crime, mas Lula se apropriou de faculdades, universidades e jornais, para irem em sua defesa, criando um falso apoio e reprovação à sua condenação. Criou-se assim um “palco de militância”.

        O ex-presidente poderia ter sido a decepção nacional se não fosse essa militância que o defende e teima em não aceitar o óbvio. Sem esse palco, Lula já teria sido esquecido, mas, lamentavelmente, ocorre o contrário.
        Quanto mais revoltante se torna a possibilidade da liberdade de Lula, mais sua militância teima em idolatrá-lo, não admitindo a realidade de seus atos e falta de escrúpulos.

        Sua carreira foi construida na base de calúnias, principalmente contra seus adversarios. Lula incentivou invasões e atos de vandalismo praticado por seus soldados, os Sem Terra. Sempre defendeu o inchaço da máquina pública, se mostrando contra as privatizacoes. Foi contra tudo que beneficiaria o país. Criticou e foi contrário ao Plano Real e à Lei de responsabilidade fiscal.

        E ao invés de aproveitar o melhor momento da economia que o pais estava vivendo, preferiu o lado do enriquecimento ilícito, se corrompendo. Utilizou o dinheiro publico do BNDES, para financiar seus amigos ditadores dos países vizinhos.

        O senhor que se dizia “pai dos pobres”, colocou em prática o declínio do país, levando seu povo a miséria e escassez. Forjou estatísticas para iludir uma nação inteira. Lula foi condenado por corrupção em primeira instância. Recorreu e o TRF-4 confirmou por unanimidade a condenação.
        Lula é sim um criminoso, um lesa pátria, sem escrúpulos, o pior politico já produzido na Historia do Brasil.

        A Justiça cometeu um ato vergonhoso ao diminuir a pena e autorizando Lula a dar entrevistas, humilhando os brasileiros, dizendo sim a impunidade e se declarando cúmplice da corrupção sistêmica que mantém o Brasil atrasadíssimo em todas as áreas.

        Que Lula continue na cadeia, para que possamos comemorar a cada ano, que, SIM, a Justiça cumpriu seu papel em mostrar que ninguém está acima da lei.

        Termino com a brilhante citação do Juiz Sergio Moro, que hoje é o Ministro da Justiça:
        “Não importa o quão alto você esteja, a Lei ainda está acima de você”.

Nota de rodapé:
        

        Atualização da matéria 28 de Abr de 2019 às 19h11

        A Central de Imprensa Sátira se dá o direito de adequar seus textos quando bem convier, porém, em respeito aos leitores, sempre manterá o artigo original sem alterações para eventuais pesquisas.

Coluna

Paula Zanelli

+1 (615) 334-8435

Análise de ID


Edições em destaque

LEIA AGORA

Roquetti foi para o espaço

    Menos de 24hs após thread de Olavo de Carvalho e a hashtag #ForaRoquetti atingir os Trends Topics no Twitter.


LEIA AGORA

Gilmar Mendes e seus 62 favores (parte1)

    A ligação do ministro Gilmar Mendes com Jacob Barata Filho, preso na Operação Ponto Final e solto em menos de 24 horas


LEIA AGORA

Gilmar Mendes e seus 62 (+1) favores (Parte 2)

    Gilmar, sem qualquer pejo, exerceu atividade político-partidária, procedendo de modo incompatível com a honra, a dignidade e decoro


LEIA AGORA

Gilmar Mendes e seus favores (Parte 3)

    Eis que mais uma vez entra em cena o “bondoso” Gilmar Mendes, o 'Libertador-geral' e sua canetada libertadora


LEIA AGORA

Gilmar Mendes e seus intermináveis favores (Parte 4)

    Gilmar Mendes coleciona decisões um tanto quanto duvidosas e controversas. Perdemos as contas dos favores do ministro