Você conhece a Espiral do Silêncio?

29 de Abr de 2019 19h01

Você deve saber o que significa mas não a reconhece pelo termo

 

"Espiral do Silêncio"

Por João Carlos e Alex Diferolli

        Espiral do Silêncio é é uma teoria da ciência política e comunicação de massa proposta em 1977 pela alemã Elisabeth Noelle-Neumann que quer dizer que "alguém não diz a sua opinião por medo de ser excluído de um determinado grupo de pessoas em que a maioria pensa diferente".

        Neste modelo de opinião pública, a ideia central é que os indivíduos omitem sua opinião quando conflitantes com a opinião dominante devido ao medo do isolamento, da crítica, ou da zombaria.

        Então, as pessoas com medo de serem excluídas de um grupo, comunidade ou sociedade, param de expor sua opinião, e, alguns outros, chegam até a fingir concordar com a opinião de todo um grupo a fim de continuar nele. Essas pessoas acabam guardando tudo pra si próprio "em troca" de não ser detonado.

        Essa situação se vê na política e não somente na atual. Vocês perceberam como quase que do nada as pessoas deixaram de falar da crise na Venezuela? Os políticos e outros percebem que ao expor as suas opiniões por completo podem ser detonados moralmente, e então, muitos preferem se abster de falar algo controverso para continuar em seu cargo. Você deve perceber que quem sempre dá sua opinião costuma ter rixa com quem pensa diferente, e pessoas assim não estão incluídas nos grupinhos em que todos por obrigação devem pensar igual.

        Alexandre Frota que surfou na onda "Bolsonaro Presidente" e se elegeu Deputado Federal, nos últimos dias após ter disparado frequentes ataques ao Presidente, blindou sua conta no Twitter para evitar críticas sobre suas palavras, entrando então na espiral do silêncio.

        Carlos Bolsonaro Vs Gereral Mourão.

        O assunto se transformou em uma guerra nas redes sociais. Até que pessoas aversas à opinião alheia tentaram calar a voz de quem apoiava o lado oposto. Criaram um tribunal para caça às bruxas que decidiu "desmascarar" as pessoas que não tem o mesmo pensamento a ponto de promoverem um linchamento virtual a estas pessoas embasadas em nem sabe-se o que, apenas pelo fato de alguém não ter gostado da opinião alheia

        Neste momento a maioria das pessoas está sabendo mais do incêndio na Catedral de Notre-Dame do que do rompimento da Barragem da Mina do Córrego do Feijão em Brumadinho-MG. Você pode pensar que é por ser mais recente, mas isso é causado também pela Espiral do Silêncio. As pessoas pensam que pelo motivo de o incêndio na Catedral de Notre-Dame ser mais recente nós devemos dar mais atenção à ele. Não importa se é mais recente e sim que os dois fatos são importantes para uma sociedade.

        Um teste simples

        Force sua mente sobre o que você esqueceu de relevante e controverso nestes últimos dias. É isso que acontece com o espiral de silêncio; as pessoas acabam se esquecendo de assuntos relevantes. Com a velocidade como as notícias chegam, acabamos sendo atropelados por elas a ponto de assuntos super importantes ficarem de lado e serem esquecidos. Normalmente, assuntos como os da tragédia de Mariana necessitam de um novo evento como o de Brumadinho para voltar em evidência.

 

Explicação dada por Olavo de Carvalho

(texto na íntegra)
        "A espiral do silêncio consiste em inibir as opiniões indesejadas; opiniões que sejam contrárias à orientação daquele órgão de mídia em particular, transmitindo a impressão de que elas são minoritárias e de que expressá-las em público pode trazer um isolamento e até uma marginalização. Então os indivíduos ficam com medo de declararem em público as suas idéias porque elas já foram de antemão rotuladas como minoritárias embora ninguém saiba se elas são realmente minoritárias".

        "No caso brasileiro o fenômeno se torna ainda mais visível de algum modo porque é justamente a opinião majoritária que está sendo rotulada como minoritária e marinalizada".

        "O minoritário tem aí também a acepção do excepcional, do raro, do divergente ou do anormal, com uma vaga tonalidade de que somente pessoas exóticas ou mentalmente perturbadas podem aderir a esta idéia. Ou pessoas exóticas e mentalmente perturbadas, ou pessoas diretamente interessadas em determinados movimentos ou talvez até subsidiadas para isso. Há uma aura toda de insinuações malévolas que não são oferecidas assim ostensivamente, mas ficam no ar, pairando no ar, como uma ameaça vaga. É essencial que a ameaça permaneça vaga, porque se ela se explicitar muito, ela pode se tornar objeto de discussao. é justamente isso que não quer. Ou seja, a espiral do silêncio é um jogo de impressoes; de impressões e de emoções vagas
".

Nota de rodapé:
        
(Edição e revisão Alex Diferolli)

         (Atualização da matéria 29 de Abr de 2019 às 21h47)

        A Central de Imprensa Sátira se dá o direito de adequar seus textos quando bem convier, porém, em respeito aos leitores, sempre manterá o artigo original sem alterações para eventuais pesquisas.

Coluna

tweet por Alex Diferolli João Carlos

+1 (505) 871-3087

Análise de ID


Edições em destaque

LEIA AGORA

Qual o interesse dos partidos em atrasar o urgentíssimo Pacote Anticrime? - Parte 3

    O projeto de lei anticrime promove alterações em 14 leis, sendo organizado em 19 objetivos, que atacam a corrupção, o crime organizado e os crimes violentos


LEIA AGORA

A indústria da exploração sexual infantil tem um novo capítulo

    Aprofundamos nas pesquisas e descobrimos quem é o homem citado na denúncia contra MC Mirella. Tráfico de drogas, evasão de divisas e homicídios estão ligados nesta trama


LEIA AGORA

A crise na Venezuela e a omissão de famosos brasileiros

    Os artistas Lobão e Roger Rocha por meio de suas redes sociais, atuam de maneira incisiva contra o ditador Nicolás Maduro, causador da crise na Venezuela


LEIA AGORA

A Reforma da Previdência (parte2)

    Destrinchamos a Thread feita pelo Barril 247 que foi elogiada por Eduardo Bolsonaro e se transformou em um vídeo explicativo do blogueiro Nando Moura


LEIA AGORA

A Lava-jato da Educação

    Os primeiros alvos da “Lava Jato da educação” serão o Prouni, o Pronatec, o Sistema S, as bolsas de ensino a distância e as universidades federais